segunda-feira, 22 de dezembro de 2008

Uma pausa para dizer...Obrigado!



Em breve, o final do ano baterá suas asas para o passado. Este ano todo dobrado de especial. Muito trabalho, muitas novas amizades e uma infinidade de novos leitores conquistados através dos livros. Conheci novos profissionais do mercado editorial, assinei novos contratos, recebi inúmeros presentes feitos pelas crianças a partir de meus livros. E estive viajando pelo Brasil trocando idéias sobre literatura, leitura e livros. Conheci outros lugares, outras gentes, outros jeitos de se relacionar com o mundo. Meu recente lançamento, E um rinoceronte dobrado, da Editora Projeto, tem sido um sucesso entre os leitores de Norte a Sul, Leste a Oeste desta nação tão diferente em cada cantinho. Se há algum prêmio que um escritor deseje receber no ano em que completa dez anos de trabalho, é ver que o que escreve vai além de um fronteira regional, conhece outras vidas, rema além de qualquer ilha, conversa com outras vidas. E se transforma, feito lagarta, em borboleta.

E isso, claro, se deve a um trabalho competente e eficiente da equipe da Editora Projeto. Uma Editora que faz a diferença no Sul do país. À toda equipe da Projeto, agradeço todo o empenho e carinho dispensados a mim e ao Rino.

Agradeço aos produtores culturais e secretarias municipais de Educação ou Cultura pelos convites e homenagens.

Agradeço aos distribuidores, livreiros, em boa parte generosos e solícitos à minha chegada ou de meus lançamentos.

Agradeço aos professores que, por vezes, ousados, recriam minhas palavras simples, dando sentido à elas, e à minha existência. Isso faz com que sobrevivamos renovados.

Agradeço aos escritores amigos e aos amigos não escritores, pelos momentos de alegria, de encontro e de troca quando permitimos nos aproximar mais do que apenas pelo trabalho.

Agradeço a companhia sempre agradável de meu professor de Desenho e Pintura, Renato Garcia, e meus colegas de aula, empenhados em me auxiliar a encontrar um camiho na ilustração.

Agradeço ao Grupo Hora Vaga, grupo de teatro de Garibaldi, pela possibilidade de me reconciliar com a arte de fazer teatro. Dirigi e adaptei para o grupo, o conto O homem da cabeça de papelão, da obra de João do Rio. Sua estréia está marcada para a segunda quinzena de março de 2009.

E, claro, meu agradecimento especial aos leitores, estas crianças (de todas as idades) de sorrisos e olhares mistérios. Como eu, há 30 anos, quando imaginava que o Erico Verissimo, autor de As aventuras do avião vermelho, era um extraterrestre e jamais estaria a conversar comigo pessoalmente.

Se me é de direito, como sonhador, fazer um pedido ao final deste ano que bate suas asas para longe, peço que 2009 seja tão producente quanto o foi 2008. E que eu possa rever a todos e conhecer outros milhares mais de amigos aventureiros da leitura.

Algumas boas surpresas estão por chegar nesse ano ímpar. Estou grávido de novas histórias! Outros livros estão sendo gerados na barriga das idéias. E quando nos reencontrarmos, tenho certeza, sorriremos juntos. Aguardem!

Enquanto aguardam, cliquem na imagem acima, façam suas borboletas de papel e divirtam-se a voar.

5 comentários:

Sandra Ronca disse...

Que delícia! E Parabéns pela gestação! Gestação, geração, tudo a ver.
Beijos e um 2009 magnífico.
Sandra

Gláucia Regina disse...

Hermes querido! Um ótimo Natal e um 2009 com muita criação!Beijos! Gláucia

uma personagem disse...

Vou aprender a fazer a borboleta!
Que bom ter a quem dizer obrigada. Na verdade sempre temos, né. Preciso começar a minha homenagem. antes que o ano termine.

uma personagem disse...

Obrigada pelos dizeres.
Não aprendi a borboleta. Vai ser uma daquelas metas. !

Cleyton disse...

Que bom este lugar! Abraço.